Veja Portugal

Hotel Lis - Baixa

Turismo das aldeias sobrevive à conta do Caminho de Santiago

5 de Junho de 2013

O Caminho Português Interior de Santiago, que a Veja Portugal está a percorrer desde 25 de Maio, entra em Espanha, na Via da Prata, por Verín, seguindo depois por Ourense em direcção a Compostela, assumindo cada vez mais contornos turísticos.

As paisagens e o património, bem como as gentes, existentes em Portugal prolongam-se pela Galiza, como uma única unidade geográfica, bem visível no percurso até Castro-Dozon, onde hoje está o jornalista da Veja Portugal, a apenas 50 quilómetros da Catedral de Compostela.caminho santiago

Após mais de 330 quilómetros percorridos, a grande diferença entre Portugal e Espanha, está na forma como os peregrinos (turigrinos, taxigrinos, bicigrinos, os que fazem turismo, que viajam de táxi ou circulam de bicicleta, e outros) são encarados pela população e pelos comerciantes.

Nos bares e restaurantes, por exemplo, há o chamado menu do peregrino. Uma refeição entre 10 e 12 euros que inclui entrada, prato, sobremesa e café. Proliferam as pensões, residenciais e outros estabelecimentos para dormir, paralelos aos albergues oficiais, que apresentam preços muito baixos (10 ou 15 euros), embora as condições, nestes casos, sejam apenas as básicas.

Mas também há complexos de turismo rural, de habitação e hotéis para os caminheiros que queiram mais conforto e estejam dispostos a desembolsar dinheiro com maior facilidade.caminho santiago

As informações são muito frequentes e é também habitual encontrar serviços de táxi que transportam os peregrinos e/ou as suas mochilas, conforme desejem.

As populações são afáveis para os visitantes, ajudam-nos com facilidade, embora a exploração turística gere conflitos decorrentes da relação que têm com os ‘peregrinos de fé’ e os chamados ‘turigrinos’.

Seja como for, independentemente das razões que levam os caminheiros a fazer-se aos trilhos e às estradas, é uma forma barata de conhecer Portugal e a Galiza, em contacto com a natureza, um património muito diversificado e populações com muitas histórias para contar. (Diário em: Alguma dor cura a alma)

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

comentários

Login para a tua conta

Não te recordas da tuaPassword ?

Registar neste site!