Veja Portugal

Hotel Lis - Baixa

Temos 22 mil empresas a exportar para 208 mercados

15 de Dezembro de 2013

O número de empresas portuguesas exportadoras cresceu nos últimos quatro anos, atingindo hoje as 22 mil, que vendem para 208 mercados em todo o Mundo, revelou o administrador da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) Pedro Pessoa e Costa, durante 3º Encontro Empresarial da Diáspora.

“Que fique bem claro: a internacionalização é determinante para o sucesso das empresas e o desenvolvimento da economia portuguesa. E não pode ser considerada uma solução de recurso em momentos de reduzida procura interna, mas parte de uma estratégia integrada de desenvolvimento”, afirmou.

O número de unidades exportadoras “aumentou de forma consistente”, de 17 mil em 2009 para 22 mil no ano passado, e “tem sido mais notório” no segmento das Pequenas e Médias Empresas (PME) que exportam menos de um milhão de euros (um crescimento de 3.458).

administrador da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) Pedro Pessoa e Costa

O administrador da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Pedro Pessoa e Costa

Para Pedro Pessoa e Costa “esta realidade ainda tem muito potencial para desenvolver”, pois apenas 9% das PME exportam activamente e somente 5% da totalidade das receitas resultam da actividade internacional.

O responsável da AICEP adiantou que “nunca exportámos tanto como hoje ou houve tantas empresas a exportar, o que está a transformar o perfil de crescimento da economia, cada vez mais assente na procura externa”. Embora a maioria das vendas aconteçam na Europa, os empresários têm descoberto outras latitudes, como a América, a Ásia e a África, exportando para 208 destinos.

A Argélia, Marrocos, Angola, EUA, Brasil, Rússia e Canadá são os mercados extracomunitários onde as exportações nacionais estão a crescer mais.

O administrador da AICEP destacou o valor da diáspora portuguesa: “Constitui, cremos nós, um incontornável valor para o País e que nos incentiva a trabalhar mais e melhor com ela”. O nosso País está em transformação em muitas áreas da economia e das empresas e também lhes “compete serem parceiros desta mudança”.

No mesmo encontro, organizado pela Nerlei – Associação Empresarial da Região de Leiria, João Maria Cabral, director geral dos assuntos consulares e comunidades portuguesas, destacou a importância dos 120 postos da rede e dos 250 cônsules honorários que cobrem quase todo o Mundo.veja portugal

“A rede consular está naturalmente desejosa e pronta para ser parceira e apoiar na chamada diplomacia económica. Todos os postos consulares estão instruídos e desejosos de contribuir para este esforço e servir de plataforma de contactos, de centros de lançamento de iniciativas, de difusores de informação”, referiu.

O 3º Encontro Empresarial da Diáspora, organizado pela Nerlei – Associação Empresarial da Região de Leiria, reuniu esta sexta-feira e sábado duas dezenas de empresários oriundos de países como o Canadá, Brasil, África do Sul, Reino Unido, Bélgica, Luxemburgo e França, além de dezenas de outros que têm as empresas em Portugal.

A iniciativa tinha como “objectivo contribuir para o crescimento da actividade económica do distrito de Leiria, promovendo a região e oferecendo oportunidades de negócio para os empresários da comunidade portuguesa e luso-descendente a residir fora de Portugal”.

 

Comentários

comentários

Login para a tua conta

Não te recordas da tuaPassword ?

Registar neste site!