Veja Portugal

Hotel Lis - Baixa

Suinicultura está a exportar 50% da produção

21 de Junho de 2013

A suinicultura está há mais de um ano a exportar 50% da produção, o equivalente a seis milhões de euros anuais, revelou esta quinta-feira, na Batalha, o presidente da Federação Portuguesa das Associações de Suinicultores (FPAS), Vítor Menino.

 o presidente da Federação Portuguesa das Associações de Suinicultores (FPAS), Vítor Menino.

Vítor Menino, presidente da Federação Portuguesa das Associações de Suinicultores (Fotos: Ricardo Graça)

“As exportações são de uma importância fulcral, porque, dada a centralização da procura em Portugal, havia que criar canais alternativos a quem compra a carne em Portugal”, disse Vítor Menino à Veja Portugal, durante o VI Congresso Nacional de Suinicultura, que decorreu no Centro de Exposições Exposalão, adiantando que “há empresas a exportar, não só animais para abate, mas também genética, já com algum peso”.

“A organização a que pertenço está a vender para mercados externos, desde Maio do ano passado, mais de 50% do que produz. E as exportações representam cerca de seis milhões de euros/ano”, destacou o presidente da FPAS, explicando que as saídas “directamente da produção nacional são sobretudo para Espanha”.

No caso da indústria, as exportações destinam-se também, por exemplo, aos PALOP e Macau. Neste momento abrem-se portas para vender para a China e Japão. “Estes dois mercados são importantíssimos. A China pelos volumes que pode abranger, o Japão pela mais valia que pode trazer aos produtos mais valorizados e onde se consiga criar diferenciação”, referiu Vítor Menino.

O nosso País tem uma auto-suficiência de carne de porco de 72% (o consumo desceu 8 a 10%), quando há um ano era da ordem dos 55%. Isto significa que o sector conseguiu recuperar 15% de auto-suficiência.

A produção envolve 4,5 milhões de animais e o sector vale 600 milhões de euros, um crescimento de 20% nos últimos anos, segundo os dados da FPAS, que representa as nove associações de produtores nacionais, três de raças autóctones e seis de produção industrial.congresso suinicultura

“Temos todas as condições para ser competitivos e nenhuma razão para não sermos auto-suficientes em carne de porco a breve prazo, como éramos há 20 anos. O sector não tem medo de qualquer espaço global em termos tecnológicos e de produtividade. As empresas são competitivas, quer a produzir, quer em custos de produção globais”, concluiu o presidente da FPAS.

As exportações totais de carne de suíno rondaram, em 2011, os 71 milhões de euros e as importações os 401 milhões de euros. Neste ano enviámos 10.080 animais vivos para o estrangeiro  (96,9% para Espanha) e 20.526 toneladas de carne (34,6% para Espanha). Comprámos 117.769 animais vivos (99,7% em Espanha) e 100.551 toneladas de carne (96,6% em Espanha).

 

 

Comentários

comentários

Login para a tua conta

Não te recordas da tuaPassword ?

Registar neste site!