Veja Portugal

Hotel Lis - Baixa

Desconhecimento trava maior internacionalização

13 de Dezembro de 2013

O desconhecimento dos mercados e dos processos é apontado como uma das principais causas da baixa taxa de internacionalização das Pequenas e Médias Empresas (PME) portuguesas, segundo um estudo efectuado pela Associação para os Pequenos Frutos e Inovação Empresarial (AGIM), com sede em Sever do Vouga.

No concelho existem 1.300 empresas, quase todas PME, mas só 57 têm actividade internacional. Ou seja, apenas 4,4%, uma “percentagem bastante modesta quando comparada com a média nacional (13%)”.

agim

O documento elaborado pela AGIM foi apresentado em Sever do Vouga

O estudo foi efectuado com “a perspectiva de conhecer melhor o seu perfil de internacionalização, concluindo-se que “a exportação é a forma predominante, referida por 90% das empresas”. A via do investimento foi assinalada por 35% dos inquiridos, havendo empresas que combinam ambas as modalidades.

Os mercados da Europa e dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) são os alvos preferenciais das exportadoras, mas, por exemplo, o mercado alemão não é referido como um destino importante, não obtendo também expressão os negócios com países do Norte de África.

A actividade internacional tem, em geral, um grande peso na facturação, representando para muitas das unidades “mais de metade do volume de negócios”, refere a AGIM,

“Um maior conhecimento dos mecanismos e dos processos de internacionalização, um contacto mais próximo com o funcionamento e as características dos mercados de destino, um maior envolvimento da banca, bem como o acesso a programas de apoio à internacionalização são factores importantes que poderão ter um impacto fortemente positivo no desenvolvimento das empresas de Sever do Vouga”, conclui a associação.

 

Comentários

comentários

Login para a tua conta

Não te recordas da tuaPassword ?

Registar neste site!